Travesseiros Duoflex
Dúvidas frequentes

Tire suas dúvidas sobre travesseiro, sono, saúde e bem estar

  • O que é um sono de qualidade?

    Um sono de qualidade é aquele que passa por todas as fases necessárias para que o corpo recupere as energias do dia. Para que isso ocorra, é necessário que todas as fases sejam vividas completamente, desde o sono mais leve, até as fases mais profundas, que são essenciais para o corpo, para a mente e para saúde.
    Na primeira fase do sono a melatonina é liberada, induzindo o sono (sonolência), já na segunda fase, diminuem os ritmos cardíacos e respiratórios, (sono leve) relaxam-se os músculos e diminui a temperatura corporal. Nas 3ª e 4ª fase, há liberações do GH, leptina e do cortisol, que induz ao sono profundo.  Na última fase, conhecida como sono REM - sigla em inglês para movimento rápido dos olhos – acontece o pico da atividade cerebral. É nessa fase que ocorrem os sonhos. O relaxamento muscular atinge o máximo e voltam a aumentar as freqüências cardíacas e respiratórias.

  • Qual é a importância do sono no funcionamento do nosso corpo e da nossa mente?

    Dormir bem é essencial não apenas para ficar acordado e bem disposto no dia seguinte, mas para manter-se saudável, melhorar a qualidade de vida e até aumentar a longevidade.
    O sono é uma função imprescindível do nosso organismo para manutenção da saúde do corpo e da mente. É importante para o desenvolvimento normal do cérebro tem papel fundamental na capacidade de aprendizado e no processo de consolidação da memória.
    Quando adormecemos, os batimentos cardíacos também ficam mais lentos e os vasos relaxam, melhorando o fluxo sanguíneo.
    Além disso, é durante a noite que acontece a regeneração celular e a produção de alguns hormônios que desempenham papéis vitais no funcionamento do nosso organismo, como é o caso da leptina (capaz de controlar a sensação de saciedade), da insulina (retira o açúcar do sangue), do GH (responsável pelo crescimento), da serotonina (responsável pela sensação do prazer), dentre outros.
    A longo prazo, a privação do sono pode comprometer seriamente a saúde. Por exemplo, o pico de produção do hormônio do crescimento (também conhecido como GH, de sua sigla em inglês, Growth Hormone) ocorre durante a primeira fase do sono profundo, aproximadamente meia hora após uma pessoa dormir.  Entre outras funções, ele ajuda a manter o tônus muscular, evita o acúmulo de gordura, melhora o desempenho físico e combate a osteoporose. Estudos provam que indivíduos que dorme pouco reduzem o tempo de sono profundo e, em conseqüência, a fabricação do hormônio do crescimento.
    A leptina, hormônio capaz de controlar a sensação de saciedade, também é secretada durante o sono. Pessoas que permanecem acordadas por períodos superiores ao recomendado produzem menores quantidades de leptina. Resultado: o corpo sente necessidade de ingerir maiores quantidades de carboidratos.
    Um estudo da Universidade de Chicago, nos Estados Unidos, mostrou que as pessoas que dormem menos têm maior quantidade de glicose no sangue. Além disso, o nível do hormônio insulina, que é responsável pela redução da taxa de glicemia, fica abaixo do normal.  A privação do sono promove aumento de estresse e isso leva à resistência da ação da insulina e aumento da glicose.
    Quem sofre de insônia ou acorda muito durante a noite por qualquer distúrbio do sono tende a ficar mais estressado e ter alterações no humor, principalmente no dia da ocorrência do problema. Esse nervosismo diminui a ação da insulina e, somado ao fato do aumento da glicose, pode levar a maiores complicações.
    Dormir mal também aumenta a atividade da adrenalina no corpo. Isso deixa o organismo em estado de alerta, como se fosse um estado de estresse.
    O sono, portanto, é essencial para o equilíbrio de todas as funções fisiológicas e psicológicas do organismo. Eliminar esse descanso da nossa rotina comprometeria todo o equilíbrio do organismo.

  • Quantas horas de sono são recomendáveis por dia para um adulto?

    O número de horas que uma pessoa consegue ficar sem dormir é bastante variável e difícil de ser avaliado cientificamente. Porém, alguns especialistas acreditam que menos de 7 horas habituais de sono pode trazer conseqüências negativas para o corpo e para o cérebro. Mas, mais importante do que as horas de sono, é a sua qualidade. O sono perfeito deve ser ininterrupto e profundo.
    A interrupção ou incompletude de qualquer uma das fases do sono são responsáveis pelo sono de má qualidade, que em longo prazo pode prejudicar o equilíbrio do organismo e a saúde.

  • Quantas horas de sono são recomendáveis por dia para os bebês e as crianças?

    Cada criança necessita de um tempo específico de sono para descansar o suficiente. No geral, recém-nascidos precisam de 10 horas e meia a 18 horas de sono; bebês até um ano, uma média de 14 horas e, até 3 anos, cerca de 13 horas.
    O sono é uma função imprescindível do nosso organismo para manutenção da saúde do corpo e da mente. Principalmente nos bebês e crianças, ele é importante para o desenvolvimento normal do cérebro e para os processos de memória e aprendizado. Além disso, durante a noite acontece a troca e regeneração celulares, com a liberação do Hormônio do Crescimento (GH) que ocorre principalmente nas fases mais profundas do sono do adulto e criança. 
    A interrupção ou incompletude de qualquer fase do sono é responsáveis pelo sono de má qualidade, que em longo prazo pode prejudicar o equilíbrio do organismo, além de prejudicar o crescimento saudável da criança e bebê.

    Ciclos do sono
    O recém-nascido dorme em ciclos de duas a três horas. O bebê dorme, acorda, mama e dorme novamente, independentemente de ser noite ou dia.
    Após os dois meses, os ciclos noturnos ficam mais longos e os de durante o dia, mais curtos. Já a partir dos 6 meses, o sono noturno acontece em dois grandes ciclos, começando a ficar mais regular.
    Do 1º ao 2º anos de vida, aproximadamente, a criança já dorme a noite toda, com períodos de sesta de manhã e depois do almoço. A partir do 3º ou 4 º ano, só ocorre uma "dormidinha diurna", em geral após o almoço. Acima dos 6 anos o sono já se concentra todo durante a noite.

  • É normal que a criança tenha dificuldade para dormir à noite?

    Os problemas para dormir são comuns em crianças. Até os 5 anos, aproximadamente 30% delas despertam no meio da noite ou demoram a pegar no sono.
    Competitividade, cobranças, obrigações, muitas atividades extracurriculares, ambiente familiar conturbado ou até mesmo doenças - como febres e resfriados - são fatores que podem interferir no sono. Distúrbios emocionais também podem influenciar, assim como a ocorrência de refluxo e alergias. O consumo de alimentos com cafeína perto da hora de deitar e o hábito de dormir com a TV ligada também podem ser os motivos das noites mal dormidas.
    É preciso estar atento porque a frequência de uma má noite de sono pode significar a presença dos distúrbios, que atrapalham o sono considerado normal. Pesquisas apontam que sintomas relacionados a doenças do sistema gastrointestinal são mais comuns em crianças que apresentam distúrbios do sono. Os casos mais comuns de distúrbios são a parassonia, também conhecida como sonambulismo - mais comum em crianças entre 3 e 11 anos - , bruxismo, terror noturno e o ato de falar durante o sono. Outro problema é o ronco. Crianças que apresentam rouquidão também podem estar com apneia, o que atrapalha o desenvolvimento. Com isso, o sono não é profundo, prejudicando seu aprendizado. E também há a insônia infantil, que pode se manifestar como dificuldade de adormecer quando a criança é colocada na cama ou dificuldade de continuar dormindo durante a noite. As crianças com distúrbios do sono costumam ficar hiperativas, irritadas e com dificuldades na escola.

  • Quais as principais vantagens de uma boa noite de sono para a criança? E as desvantagens de uma noite mal dormida?

    Criança na cama significa muito mais do que um simples momento de descanso para os pais. Durante o sono ocorrem vários processos metabólicos, que se alterados,  pode afetar o equilíbrio de todo o organismo a curto, médio e em longo prazo.  Na infância, cerca de 90% do hormônio do crescimento é liberado durante o sono. Crianças que dormem mal têm mais chances de ter problemas no desenvolvimento físico e mental. Se não há um bom sono, pode não ser atingida a estatura esperada.Especialistas alertam que criança que não dorme direito, além da sonolência durante o dia, pode ter alterações de humor e apetite, desatenção nas atividades escolares e cotidianas, além de problemas no crescimento.
    É enquanto dorme que a criança consolida a memória e fixa o que aprendeu durante o dia. O sono restaura as energias para o dia seguinte.
    Uma pesquisa recém-apresentada pelo American College of Gastroenterology aponta que crianças com dificuldades para dormir, distúrbios de sono ou que simplesmente não descansam o tempo necessário são mais propensas a apresentar problemas gastrointestinais, como azia, dores, cólicas e vômitos.

  • Quais os sinais de que pode haver algo errado com o sono da criança? Quando é preciso procurar ajuda médica?

    Dificuldades para colocar o pequeno na cama não são o fim do mundo. Para evitar problemas na hora de dormir, é possível seguir algumas dicas. Rotinas devem ser estabelecidas desde os primeiros meses, com limites nos horários de ir para cama e de acordar. Porém, se após todas as tentativas o problema persistir, pode ser sinal de um distúrbio e não somente uma dificuldade. Nesse momento, é necessário procurar ajuda médica.

  • Quais seriam as dicas para o soninho tranquilo das crianças?

    Tanto para o sono da tarde, quanto da noite, é importante disciplinar o sono do bebê e da criança, mantendo sempre o mesmo horário e estabelecendo um ritual para que saibam que chegou a hora de dormir, como um dar banho tranquilo, ler histórias, cantar ou até mesmo trocar a fralda a meia luz. Os pais devem regular o horário de ir para a cama e criar uma expectativa boa para o sono, evitando, por exemplo, o medo de dormir no escuro. É importante também que a criança reconheça que o quarto é lugar de dormir, portanto o ambiente deve ter temperatura agradável, pouco som e luzes baixas para que o sono do pequeno respeite o número de horas referente à sua idade.
    Ir acalmando a criança algumas horas antes de dormir também é uma alternativa, deixando as brincadeiras mais calmas, a alimentação mais leve ou a mamada mais tranquila.  Chás calmantes como os de folha de laranja, camomila ou erva-cidreira, duas horas antes de as crianças irem para a cama também ajudam a relaxar. Massagens com óleo de lavanda e banhos quentes podem atuar como calmantes. Outra coisa que transmite tranqüilidade a criança são os chamados objetos de transição: paninho, fraldinha, bonecos de pano, bichos de pelúcia. Um beijo de boa noite sinaliza que o dia acabou e transmite segurança.

  • Quais os fatores que mais influenciam positivamente e negativamente para uma boa noite de sono?

    De modo geral, as pessoas dão menos importância do que deveriam ao sono. A correria da vida moderna, o estresse e a rotineira troca do dia pela noite fazem com que o sono fique em último plano, enquanto ele representa uma importância vital para o organismo, assim como se alimentar bem ou praticar exercícios.
    Cuidados com o travesseiro, o colchão, a postura, a alimentação, a prática de atividades físicas e até mesmo a luz e a temperatura do ambiente influenciam para um sono renovador e de qualidade.
    É recomendável deixar o ambiente bem escuro. A claridade interfere na produção da melatonina – hormônio que avisa o cérebro que já é hora de dormir. Além disso, evitar estímulos que atrapalhem um sono profundo, como TV, computador e celular.
    Fazer refeições antes de deitar, principalmente ingerir alimentos que promovem o aumento dos níveis de insulina (acionando assim o metabolismo), pode influenciar na má qualidade do sono. Quanto maior a refeição noturna, maior dificuldade de digestão. São muitos os alimentos que ajudam a relaxar como: alface, maçã, pepino, salsão e ervas como a camomila e a cidreira são os mais indicados. Alimentos fonte de triptofano como carboidratos, encontrados na banana, podem ajudar a proporcionar noites bem dormidas, pois o triptofano participa da formação da melatonina, hormônio responsável pelo sono.
    Maus hábitos como o consumo excessivo de álcool, fumo e alimentos gordurosos (aliados à obesidade e a não prática de atividades físicas), podem ser causadores de diversos distúrbios do sono também, como o ronco e a apneia.
    Os especialistas apontam a endorfina – o neurotransmissor que atua como analgésico e traz sensação de bem-estar – liberada durante os exercícios, como a responsável pelas boas noites de sono. A prática esportiva pode ajudar a dormir melhor, mas funciona como um auxiliar, um coadjuvante, não atua diretamente em problemas nos casos crônicos de insônia. Em muitos casos, é necessário somar-se a esta prática, a reeducação postural aliada ao uso do travesseiro correto durante o sono.

  • Quais são os maiores danos da privação de sono?

    As pessoas que sofrem de insônia podem ter dificuldades para iniciar o sono, levantar várias vezes durante a noite, ou até acordar cedo demais. Nesses casos, o indivíduo não tem um sono restaurador e pode sofrer com os efeitos durante o dia, como cansaço, falta de energia, dificuldade de concentração, lentidão do raciocínio desatenção, comprometimento da criatividade, perda da memória de fatos recentes, irritabilidade, alterações repentinas de humor, sonolência diurna excessiva e até problemas comportamentais como a hiperatividade, a agressividade e a impulsividade.
    No caso das crianças, é na escola que os primeiros sintomas da falta de sono são percebidos. O desempenho cai e a criança pode até ser equivocadamente diagnosticada como hiperativa, em função da irritabilidade e de sua dificuldade de concentração.
    Em longo prazo, pode ocasionar falta de vigor físico, envelhecimento precoce, diminuição do tônus muscular, perda crônica da memória, comprometimento do sistema imunológico, tendência a desenvolver obesidade, diabetes tipo 2, colesterol alto, doenças cardiovasculares e gastrointestinais, dentre outras.

  • Devemos nos preocupar com a postura durante o sono?

    Postura inadequada e estresse excessivo são desencadeadores de diversos problemas nas regiões cervical, torácica e lombar. Durante o sono, perdemos o controle da musculatura da cabeça, portanto, para evitar problemas mais sérios na coluna, deve haver uma preocupação com a postura correta durante toda a noite.
    Na hora de dormir, o ideal é alinhar a coluna cervical com o tronco, o que melhora a circulação sanguínea e facilita os estímulos elétricos enviados pelo cérebro aos órgãos do corpo.
    A posição de descanso escolhida deve ser a mais adequada possível para evitar que, em longo prazo, não afete a saúde da coluna e, consequentemente, a qualidade de vida.  A postura correta durante o sono pode ser a chave para um sono restaurador e com mais qualidade.
    O uso do travesseiro em altura e suporte apropriados faz com que a postura de descanso favoreça a anatomia fisiológica da coluna, permitindo com que a pessoa se levante bem disposta e sem dores no corpo no dia seguinte, além de não comprometer a qualidade de vida do indivíduo, ao longo do tempo.

  • Qual á a postura mais indicada para o sono?

    Durante a noite, é comum as pessoas alternarem sua posição de dormir. Isso acontece espontaneamente e é saudável, pois ao mudar a postura, a pressão sobre a parte do corpo que está em contato com o colchão ou travesseiro é diminuída. Porém, de acordo com especialistas em sono, o ideal é dormir sempre de lado ou, na impossibilidade, de barriga para cima (mesmo sabendo que a posição não é favorável para a coluna, algumas pessoas acabam dormindo de barriga para baixo).
    Tanto faz se é do lado direito ou do lado esquerdo. Quem dorme de lado deve usar um travesseiro para apoio da cabeça, em uma altura que se encaixe perfeitamente entre ela e o colchão, formando assim, um ângulo de 90 graus no pescoço. Nesta posição os joelhos deverão estar preferencialmente semiflexionados, com um travesseiro entre eles. Esta não pode ser confundida com a posição de feto, onde se faz uma flexão exacerbada em toda a coluna vertebral, prejudicando-a com o passar dos dias.

  • Qual é a importância do travesseiro para o sono?

    Mais do que proporcionar uma boa noite de sono, o travesseiro, com altura e suporte apropriados ao seu biótipo e postura ao dormir, é responsável pela saúde do corpo, pois alinha a coluna cervical com o tronco, relaxando os músculos, melhorando a circulação sanguínea e facilitando os estímulos elétricos enviados pelo cérebro aos demais órgãos. Pessoas que dormem com um travesseiro errado comprometem a qualidade do seu sono, que acarreta em cansaço, dores no corpo, agitação e alteração de humor no dia seguinte.

  • Quais são os tipos de travesseiros existentes no mercado?

    Existe uma diversidade enorme de travesseiros no mercado e, geralmente, os itens que os diferem são: formato, material, suporte, altura, tamanho e acabamento. Focada sempre em saúde, a Duoflex hoje é especializada na fabricação de travesseiros em espumas especiais:

    Travesseiro Nasa – produzido em espuma viscoelástica de última geração moldado com alta viscosidade e densidade, este travesseiro é recomendado por ortopedistas e fisioterapeutas e comercializado em mais de 40 países no mundo. Automoldável e termossensível, adapta-se ao contorno e à temperatura do corpo, exercendo uma menor pressão nas áreas mais quentes ou salientes, facilitando a circulação sanguínea. Além de oferecer maior capacidade de absorção do peso e distribuição equalizada da pressão sobre o corpo, o travesseiro NASA possui a propriedade de retorno lento ou memória, agindo como um verdadeiro amortecedor. Tudo isso torna o travesseiro NASA o travesseiro ideal para posição natural de descanso, prevenindo dores na cabeça, pescoço, costas, braços e ombros e garantindo um sono restaurador. A espuma viscoelástica também é utilizada ao redor do mundo na fabricação de leitos médicos, para evitar úlceras de pressão escaras) e para outros fins ortopédicos. O travesseiro Nasa Duoflex possui tratamento antiácaro e capa com zíper, permitindo a sua higienização. Ainda na espuma NASA, a Duoflex apresenta o seu mais novo lançamento, o travesseiros Nasa Molas, caracterizado pelo toque e maciez do NASA, porem com o suporte do travesseiro de Molas.

     

    Travesseiro Natural Látex - produzido a partir do látex natural extraído da seringueira. Extremamente confortável, toque macio e aveludado, fornece o apoio e sustentação total da cabeça em todas as posições durante o sono. Os Travesseiros Látex têm  maior aceitação no mundo, pois se adaptam com perfeição a todas as pessoas. Não é preciso afofar após o uso, porque sua matéria-prima e sua estrutura celular única permitem retornar à sua forma original mesmo depois de uso intensivo e contínuo, permitindo maior durabilidade e conforto. São moldados com milhares de furos que formam canais internos de circulação de ar e sua estrutura é composta por milhões de células totalmente abertas, facilitando a respiração e fazendo com que o travesseiro fique todo o tempo numa temperatura inferior à do corpo, além de permitir evaporação rápida de umidade e transpiração, prevenindo odores e contaminações. Por serem laváveis, higiênicos, frescos e extremamente confortáveis são indicado para todas as estações e climas. O Natural Látex é encontrado em capa de algodão natural e embalagem ecologicamente correta.

    Travesseiro Látex de Poliuretano - produzido em espuma 100% poliuretano, apresenta o mesmo toque, maciez e elasticidade do travesseiro “Natural Látex”, cuja base é composta pelo látex natural extraído da seringueira.  Este produto vem ao encontro da necessidade de quem aprecia o toque e o conforto do “Natural Látex”, mas tem algum tipo de sensibilidade ao seu cheiro característico de borracha. São extremamente confortáveis e apresentam excelente relação entre suporte, flexibilidade e retorno, fornecendo o apoio ideal em todas as posições de sono. Possuem canais internos de circulação de ar, facilitando a respiração e permitindo evaporação rápida de umidade e transpiração, prevenindo odores. A capa deste travesseiro é confeccionada com o tecido Dry-Fresh de alta performance, que propicia evaporação mais rápida e toque suave. Dry-Fresh é um conceito utilizado para definir o tecido 100% algodão que, devido à estrutura de fabricação, proporciona alta respirabilidade e troca térmica constante, combinados a um toque suave e refrescante. É a evolução dos tecidos especiais tipo “DRY”, com a grande vantagem de ser 100% algodão, produto natural, muito mais saudável, que previne os odores desagradáveis e o calor gerado pelos tecidos sintéticos. Como a maioria das espumas Duoflex, o travesseiro “Látex de Poliuretano” é produzido com total proteção antiácaros, fungos e bactérias.

     

    Travesseiro Fresh (espuma fria) - são produzidos a partir de monoblocos de espuma de poliuretano expandido. Estão disponíveis no mercado em diversas alturas e suportes, permitindo flexibilidade de uso. Este travesseiro possui células mais abertas para proporcionar frescor,  ventilação, toque e maciez superiores às espumas comuns, usadas nos colchões, que são duras, ásperas e com pouca aeração. Possui tratamento  antiácaro e capa em Dry-Fresh, tecido 100% algodão que propicia toque suave e refrescante e evaporação mais rápida. Este travesseiro pode ser lavado e agora tem a opção de tamanho mais alto no mercado.

    Travesseiro de Molas - são produzidos a partir de espumas de poliuretano, com recheio de molas de aço galvanizado. As molas ficam alojadas em casulos individuais, dispostos em forma de colméia. Estes casulos permitem alta ventilação, frescor e higiene, além de aumentar a aeração devido ao bombeamento de ar causado pela movimentação do usuário, promovendo uma circulação de ar mais significativa que em qualquer outro travesseiro disponível no mercado. As molas podem sofrer flexão lateral dentro de seus casulos, permitindo, assim, que os travesseiros sejam dobrados até 90 graus, sem nenhuma deformação. O Travesseiro de Molas permite uma adaptação personalizada à anatomia da pessoa, fornecendo apoio a cada ponto da cabeça e pescoço e proporcionando conforto e maciez com total proteção e ausência de ruídos. O usuário não percebe as molas, já que são levíssimas e seu conjunto é o que proporciona a sustentação da cabeça.

     

    Travesseiro Altura Regulável – podem ser produzidos nas espumas Látex ou NASA. O que chama a atenção neste modelo é a possibilidade de se adequar a todas as pessoas e posições durante o sono. Este travesseiro  possui um bolso interno com 3 camadas individuais de espuma, que podem ser removidas ou adicionadas a qualquer tempo pelo usuário, permitindo-lhe  escolher entre 4 alturas, de maneira fácil, rápida, prática e higiênica. Os travesseiros Altura Regulável foram desenvolvidos para que o usuário possa regular e acertar a altura e maciez do travesseiro exatamente ao seu gosto e necessidade. Os travesseiros Altura Regulável possuem proteção antiácaro.

    Travesseiro de Flocos – são produzidos com pequenos pedaços (flocos) de espuma. Encontrado no mercado por preços mais acessíveis, geralmente não são antialérgicos e não podem ser lavados.  Os flocos se acomodam durante o sono causando maior conforte e maciez. É aconselhável afofar o produto a cada uso e realizar a troca do travesseiro com mais freqüência. Deixá-lo ventilar, sob luz indireta e sempre protegido por uma fronha, também é uma boa dica de higienização para este travesseiro.

     

    Travesseiro Contour Pillow (anatômico cervical) – são produzidos em espuma de poliuretano perfilado no formato anatômico. Encaixam-se perfeitamente à cabeça e pescoço, além de possuir suporte firme. São indicados para pessoas que dormem de lado ou que necessitam de uma maior sustentação para a cabeça e alinhamento da coluna durante o sono. Possui acabamento de espuma como gomos massageadores, que facilitam a circulação sanguínea.

  • Como escolher um travesseiro ideal para você?

    Mais do que proporcionar uma boa noite de sono, o travesseiro, com altura e suporte apropriados ao seu biótipo e postura ao dormir, é responsável pela saúde do corpo, pois alinha a coluna cervical com o tronco, relaxando os músculos, melhorando a circulação sanguínea e facilitando os estímulos elétricos enviados pelo cérebro aos demais órgãos.
    O travesseiro ideal deve adaptar-se ao corpo e proporcionar uma boa noite de sono, permitindo com que a pessoa se levante bem disposta e sem dores no corpo.
    Na hora de escolher um travesseiro é preciso estar atento à posição em que se dorme e também à altura do travesseiro, que deverá preencher completamente o espaço entre a cabeça e o colchão. O ideal é deitar-se sobre uma cama e verificar se seu pescoço está alinhado. Se estiver muito alto ou muito baixo esse travesseiro não é o mais indicado.
    A escolha pelo material também deve levar em conta o gosto pessoal. Caso seja alérgico, é indicado verificar se o travesseiro realmente possui proteção contra ácaros, fungos e bactérias e se os materiais usados não causarão alergia. Se for uma pessoa que transpira muito durante a noite, é aconselhável ainda verificar o conforto térmico do produto.
    Pessoas que dormem com um travesseiro errado comprometem a qualidade do seu sono, que acarreta em cansaço, dores no corpo, agitação e alteração de humor.

     

    Veja orientações importantes para que dorme:

    DE LADO
    Esta é a posição mais recomendada pelos fisioterapeutas.
    Tanto faz se é do lado direito ou do lado esquerdo. Quem dorme de lado deve usar um travesseiro para apoio da cabeça, em uma altura que se encaixe perfeitamente entre ela e o colchão, formando assim, um ângulo de 90 graus entre o pescoço e o ombro. Nesta posição os joelhos deverão estar preferencialmente semiflexionados, com um travesseiro entre eles. Esta não pode ser confundida com a posição de feto, onde se faz uma flexão exacerbada em toda a coluna vertebral, prejudicando-a com o passar dos dias.

     

    DE COSTAS
    Nesse caso, o travesseiro baixo ou médio para apoiar a cabeça, preencher o espaço entre a cervical e a nuca e evitar a hiperflexão do pescoço.
    É importante também que nesta posição os joelhos estejam semiflexionados e com um travesseiro ou um rolinho embaixo deles, para proporcionar descanso e apoio para a lombar.

    DE BRUÇOS
    Esta posição não é aconselhada por médicos e especialistas, por prejudicar a coluna cervical e forçar a musculatura do pescoço. Mas se não for possível dormir em outra posição, é recomendável utilizar dois travesseiros bem baixos, sendo um para apoio da cabeça e outro embaixo do abdômen, na altura da curvatura da cintura.

     

    TODAS AS POSIÇÕES
    Se você costuma dormir em diversas posições, então o travesseiro ideal é aquele que possui regulagem de altura, podendo ser adaptado exatamente ao seu gosto e necessidade durante o sono.
    O travesseiro Altura Regulável possui três camadas internas que podem ser facilmente adicionadas ou removidas, possibilitando quatro opções de altura, fazendo com que o travesseiro fique na altura desejada, oferecendo o suporte ideal para alinhar os ombros e o pescoço, seja qual for a sua posição ao dormir.
    Tudo isso de forma fácil, rápida, prática e higiênica!

  • A partir de que idade as crianças podem usar travesseiros e qual a altura recomendada?

    Uma das principais dúvidas que acometem as novas mães está relacionada ao sono e às condições em que o bebê deve ser colocado para dormir. Depois de tanto tempo ouvindo dos especialistas que os bebês deveriam ser colocados para dormir de lado para que não corressem o risco de sufocar caso vomitassem, o consenso dos especialistas mudou de uns anos para cá. Depois de muitas pesquisas, a Academia Americana de Pediatria, uma das mais conceituadas instituições da classe, passou a recomendar que os bebês sejam colocados no berço em posição de supinação, ou seja, de barriga para cima. De barriga para cima, o bebê tem menos chances de se sufocar ou se asfixiar – mesmo se for vomitar, sua reação natural será tossir, chamando a atenção dos pais. No Brasil também foram realizadas campanhas para que a nova recomendação fosse seguida, com o intuito de reduzir os casos de morte súbita
    Porém, o bebê pode, eventualmente, ser colocado para dormir de lado, sempre mudando o seu posicionamento de um lado para o outro, como forma preventiva de não obter deformidade da caixa craniana, diminuição da expansibilidade respiratória desse hemicorpo que está em contato com o colchão, o encurtamento da musculatura ou até uma assimetria respiratória posicional. É importante alertar para que somente coloque o bebê nesta posição quando tiver um adulto vigiando este sono, para não correr o risco dele se virar e se sufocar.
    No Brasil também foram realizadas campanhas para que a nova recomendação fosse seguida, com o intuito de reduzir os casos de morte súbita. Porém, embora exista grande preocupação com as condições de sono do bebê nos primeiros meses de vida, pouco se fala sobre a questão depois de passado esse período. Mas a boa qualidade do sono é algo que deve fazer parte da vida desde a infância.
    Os travesseiros que os bebês usam também devem acompanhar o crescimento das crianças. De acordo com pesquisas realizadas pela Duoflex, em qualquer fase da vida é fundamental dar apoio à cabeça com um travesseiro adequado, alinhando a coluna e visando saúde e conforto na hora do sono.
    Para os primeiros meses de vida, recomenda-se o uso de travesseiros mais baixinhos apenas para apoiar a cabecinha do bebê e gerar conforto para a coluna. Com o passar do tempo – a partir do 6º mês - a criança já pode dormir de lado com um travesseiro que preencha exatamente o espaço entre a cabeça e colchão. Isso fará com que as vias respiratórias fiquem livres e a coluna fique alinhada, favorecendo o sono.
    Acessórios como o rolinho podem ser introduzidos gradativamente, como forma de impedir que a criança se vire dentro berço e permaneça sempre na posição lateral. Porém, como cada criança tem uma estrutura e um biótipo, fica difícil colocar uma regra dizendo em qual mês de vida deve ser feita alteração. A nossa dica é que os pais fiquem atentos e percebam se o espaço do ombro da criança fica bem preenchido pelo travesseiro, de forma que a coluna fique sempre reta e alinhada. Quando perceberem que o pescoço está inclinando para baixo, está na hora de trocar o travesseiro por outro mais alto.
    Quando a criança deixa o berço e passa a dormir em cama, então é hora de fazer outra troca para um travesseiro adulto, porém baixo. Uma dica importante é que, no decorrer do crescimento da criança, deve-se introduzir um travesseiro entre as pernas para que não haja atrito dos joelhos e tornozelos.

  • Qual a melhor posição e o travesseiro mais indicado para a gestante dormir?

    Segundo um estudo realizado na Universidade de Paris, na França, a queda na qualidade do sono de muitas mulheres grávidas ocorre devido às mudanças hormonais e ao aumento da barriga, principalmente no fim da gestação.
    No primeiro trimestre da gravidez, a alteração hormonal aumenta cerca de 50% do volume do sangue no corpo da mulher. Isso gera um esforço maior para bombear o coração, levando embora as tranqüilas e boas horas de sono. A situação, porém, não é regra. Há mulheres que sentem mais sono no primeiro trimestre, porque há um aumento do progesterona, hormônio responsável pela sonolência. Já, no segundo trimestre, o sono tende a se regularizar porque os hormônios se estabilizam, e nos últimos três meses o que atrapalha o descanso é a falta de posição para dormir. Além disso, outros fatores para a perda da qualidade de sono da gestante são: vontade de urinar durante a noite e a constante preocupação de se ter uma criança na barriga. Mas esse desconforto pode ser amenizado com as seguintes orientações:

     

    1. Coma algo leve antes de dormir, em pequena quantidade, como um copo de leite e uma bolacha. Assim, evita-se acordar com fome no meio da noite;

    2. Use roupas largas e confortáveis. Uma boa dica é dormir sem calcinha. Grávida tem excesso de secreção vaginal e a medida evita infecções;

     

    3. Procure dormir oito horas por noite. Faz bem à saúde. E, depois que o bebê nascer, vai ser mais difícil descansar;

    4. O ideal é dormir sempre de lado (decúbito lateral). Permanecendo com a coluna alinhada, as vias respiratórias ficarão mais livres, absorvendo maior quantidade de oxigênio no sangue, beneficiando todo o corpo da mãe e obviamente o melhor desenvolvimento do filho. Prefira o lado esquerdo, porque nessa posição você não comprime a veia cava e não prejudica a circulação. Do lado direito do abdome passa a veia cava inferior, que é grossa e traz bastante sangue de volta ao coração. No final da gravidez, quando a barriga já está grande, o peso do útero pode comprimir essa veia, provocando falta de ar, por isso os obstetras recomendam deitar-se sobre o lado esquerdo.

     

    5. Três travesseiros fazem toda a diferença. Coloque um travesseiro sob a cabeça, de forma a preencher completamente o espaço entre ela e o colchão, e outro entre as pernas e joelhos para evitar atritos e dar um maior apoio para a lombar. Use algo também embaixo da barriga, para sustentar seu peso e trazer maior conforto. Há grávidas que não sentem nenhum incômodo de barriga para cima. Nesse caso, tudo bem. No entanto, a posição não é aconselhável para gestantes com hipertensão (pressão alta) ou hipotensão (pressão baixa). Como a gestante pode passar por ondas de calor, sugerimos os modelos na espuma Látex, que oferecem maior frescor.

    Dicas para melhorar o sono das gestantes:
    • Diminua o ritmo de suas atividades no começo da noite, assim estará mais tranqüila ao deitar
    • Massagens, exceto na barriga, alongamentos e hidroginástica ajudam a relaxar;
    • Café, mesmo moderado, e chocolate não devem ser ingeridos à noite. Eles podem deixar você mais agitada;
    • Não coma alimentos gordurosos ou picantes no jantar para evitar acidez estomacal e o refluxo;
    • Prefira dormir em um ambiente escuro e sem barulho. Se tiver televisão no quarto, desligue-a antes de deitar.

  • Quais seriam as principais dicas para se conquistar uma boa noite de sono?

    Quarto deve ser sinônimo de sono
    Para que você possa dormir melhor e mais rápido, o quarto deve estar associado ao sono, ou seja, não realize outras atividades (como trabalhar) no quarto, reserve-o para uma boa noite de sono, um ambiente escuro e silêncioso é mais agradável para dormir.

     

    Mantenha um horário fixo
    Existe hora para tudo. Para dormir bem é essencial um horário regular de sono, procure manter esse horário também em finais de semana.

    Não coma alimentos pesados ajuda no sono
    Comer alimentos pesados, fumar ou ingerir bebidas alcoólicas atrapalham o sono, por isso evite comer esses alimentos, troque-os por um chá ou saladas, a sopa pode ser um ótimo alimento principalmente no frio mas lembre-se, determinados tipos de chá podem atrapalhar o sono.

     

    Exercícios físicos ajudam, na hora certa
    Praticar exercícios físicos podem ajudar você a dormir melhor, mais lembre-se, tenha um intervalo de no mínimo 4 horas entre o exercício e o sono, porque se não ele pode atrapalhar.

    Nada de computador ou TV antes de dormir
    As luzes dos computadores e televisões fazem com que você se sinta mais "acordado", por isso, troque-os por um banho morno, que ajudará a você a relaxar para o sono.

     

    Rituais podem ajudar
    Quando você for para a cama não leve o stress do dia-a-dia, deve-se esquecer de tudo ao deitar, para facilitar, crie uma história em sua mente, que tenha ligação com relaxamento e procure esquecer dos acontecimentos do dia.

    Cochilo depois das refeições pode atrapalhar
    O cochilo depois das refeições é muito bom, principalmente para relaxar, mais não se esqueça, ele não deve atrapalhar o sono noturno.

     

    O ambiente é essencial
    Além de um ambiente escuro e silêncioso, um lugar arejado e algumas essências também podem ajudar.

    Nada de stress
    O stress é um dos principais responsáveis pela insônia, por isso, no seu dia-a-dia, tenha uma pausa para o café, relaxe e terá uma melhor noite de sono.

     

    Fique atento na escolha pelo travesseiro e colchão
    Na hora de escolher o travesseiro o ideal é testá-lo sobre uma cama. Ele deve preencher exatamente a distância compreendida entre a cama e a sua cabeça.  A postura correta durante o sono é  fundamental para que se dormir bem.

    Se ainda não conseguir dormir
    Levante e faça uma atividade relaxante, não fique mais de 30 minutos parado na cama.

  • De quanto em quanto tempo precisamos trocar o travesseiro?

    Pouca gente se dá conta é que os travesseiros têm prazo de validade. O travesseiro é um dos esconderijos prediletos dos ácaros - causam conjuntivite, eczema, sensação de peito fechado à noite, espirros, coceira nas mãos ou face, corrimento ou bloqueio e até mesmo asma - uma vez que eles se alimentam das secreções que eliminamos durante o sono pela boca (saliva), ouvidos (cerume), olhos (lágrimas), nariz (coriza), cabelos (seborréia) e pele (suor e pele morta). Some-se a tudo isso às secreções artificiais, tais quais cosméticos, perfumes, tinturas e maquiagem, para avaliarmos a contaminação maciça diária a que são submetidos os travesseiros. Todo esse material orgânico encontra-se em um ambiente ideal de proliferação biológica: escuro, úmido e quente.
    Um travesseiro sem proteção antimicrobiana, com 6 (seis) meses de uso, já contém cerca de 300 mil ácaros e, após 2 (dois) anos, até 25% do seu peso é formado por ácaros vivos, mortos e suas fezes, sendo portanto, uma provável fonte de alergias.
    Portanto, o ideal é comprar travesseiros com proteção antiácaro. O produto utilizado pela Duoflex é totalmente inofensivo ao ser humano, pois tem a base de Zinco Piritiona, largamente usado em xampus e cosméticos no mundo inteiro. Este tratamento compõe a fabricação da espuma, sendo, portanto, permanente e seguro, ao contrário de borrifações e saches, métodos temporários e arriscados. Além disso, evita que os ácaros se instalem nos travesseiros gerando mais conforto e segurança para toda a família.
    A vida útil de um travesseiro é de, em média, cinco anos de uso, mas é recomendado que faça a troca de dois em dois anos, pois a prolongação do uso pode ser uma grande fonte de contaminação por microorganismos.

  • Como devemos lavar e conservar os travesseiros?

    Apesar de existirem travesseiros que são laváveis, observa-se grande confusão, infinitas dúvidas e muitos enganos sobre como se deve lavar, como secar e até mesmo se é realmente interessante lavar travesseiros.
    O processo de lavagem nem sempre é indicado, principalmente quando não podemos garantir sua secagem completa.
    Os travesseiros são feitos de materiais fofos, porosos, fibrosos, que absorvem água e umidade como verdadeiras esponjas, e depois de lavados reterão grande quantidade de umidade no seu interior mesmo quando, superficialmente, aparentem estar secos.
    Caso seja necessário, somente lave o travesseiro se puder garantir sua SECAGEM COMPLETA e siga estritamente as instruções de lavagem. Se for lavar em lavanderias, que é o ideal, exija que essas instruções sejam totalmente observadas.
    É usual também cometer o erro de expor os travesseiros ao sol. O sol é um excelente agente de sanitização superficial, pois os raios-ultravioletas eliminam os microorganismos da superfície exposta. Por isso, todos nós temos o costume de expor roupas, lençóis e tecidos ao sol, eliminando mofo e odores desagradáveis. Porém, no caso dos travesseiros, a moradia dos ácaros e microorganismos não é a superfície, e sim o seu interior. Se o travesseiro for exposto ao sol, ocorre um aquecimento no seu interior, ambiente repleto de umidade, resíduos de pele, gordura e secreções da cabeça. A elevação de temperatura causa aumento acentuado da proliferação de ácaros, fungos e bactérias, além de acelerar a pulverização das fezes e cadáveres de ácaros, elementos altamente alergênicos. Além disso, a radiação ultravioleta oxida a superfície do material do travesseiro, deixando-a amarelada.
    Por isso, o ideal é sempre arejar e ventilar o travesseiro, protegido por uma fronha, sempre sob luz indireta. Esta medida irá aumentar a saúde e a durabilidade do travesseiro.

  • Por que sentimos sono logo após o almoço?

    Por dois motivos. O principal deles é o aumento de bicarbonato no sangue. Quando começa a digestão, o estômago captura água e gás carbônico no organismo para formar o ácido carbônico. Esse ácido reage com outro, o ácido clorídrico, e forma o suco gástrico, que digere os alimentos. Da reação entre os ácidos, sobra uma substância chamada bicarbonato, que é absorvida pelo sangue e o torna menos ácido. Quando o sangue alcalinizado irriga o sistema nervoso central, provoca a diminuição da atividade das regiões responsáveis pela vigília e pela contração muscular. “Não se sabe exatamente como acontece, mas há uma diminuição da capacidade de concentração e da força dos músculos, provocando uma sensação passageira de sono”, diz o fisiologista Francisco Gacek, da Universidade de São Paulo. Além disso, durante a digestão uma quantidade maior de sangue se dirige para o estômago e os intestinos para ajudar no processo. O sistema nervoso central passa, então, a ser menos irrigado e, portanto, diminui sua atividade porque dispõe de menos oxigênio.

  • Faz bem dormir depois do almoço?

    Pessoas que têm problemas de estômago ou sofrem de insônia e apnéia do sono (interrupção da respiração por mais de 10 segundos enquanto dormem) não devem cochilar depois do almoço, pois esse descanso pode, respectivamente, prejudicar a digestão e comprometer o sono da noite.
    Fora isso, a sesta, comum em países como Espanha e Itália, não tem qualquer contra-indicação e pode ser uma forma eficiente de recarregar as baterias.
    Além de tornar a pessoa mais ativa e produtiva, a sesta pode melhorar a digestão, pois deixa o organismo livre para concentrar suas energias no funcionamento do sistema digestor. Pesquisa realizada pela Nasa, a agência espacial norte-americana, revelou que 40 minutos de sono depois de uma refeição, no meio de uma jornada de trabalho, aumentam em 34% a capacidade produtiva. A única ressalva é quanto ao tempo de duração e ao horário do cochilo. Para não perturbar o sono noturno, ele não pode ser superior a uma hora e deve ocorrer preferencialmente entre 13 e 17 horas, conforme o relógio biológico de cada um.

  • Criança precisa dormir durante o dia? Até que idade?

    A soneca diurna também foi apontada por recentes pesquisas como algo que só vem a acrescentar. Uma hora de cochilo durante a tarde é capaz de restaurar até mesmo ampliar os processos cognitivos das crianças. Ela melhora o rendimento da criança na escola, permitindo com que ela aprenda mais. É como se uma caixa de emails estivesse cheia e depois de uma soneca ela se esvaziasse e sobrasse mais espaço para mais informações. Outro beneficio é o descanso. Depois das atividades matinais, seu filho precisa repor as energias gastas. Quando isso não acontece ele pode ficar irritado e as falas e os movimentos podem ficar mais lentos. O ideal é que essa rotina da soneca após o almoço se estenda até os 4 anos de idade. Cerca de 1 a 2 horas é o ideal. Cuidado para ela não ultrapassar esse período.

  • Quais os perigos de se dirigir com sono?

    A privação do sono leva a fadiga, redução da capacidade de raciocínio, perda dos reflexos e pode levar o individuo a pequenos cochilos, o que pode ser fatal quando se está dirigindo.

  • Caso o motorista esteja se sentindo sonolento na estrada, o que deve fazer?

    O motorista sonolento não deve pegar o carro. Caso o sono venha quando se está dirigindo o mais indicado é parar o carro, descansar e seguir a viagem quando estiver totalmente recuperado.

  • Trabalhar à noite e ficar acordado de madrugada. O que isso influi no dia a dia?

    Existe um biorritmo de cada pessoa. Algumas são mais matutinas, acordam mais cedo e se sentem mais dispostas no período da manhã. Outras pessoas são mais vespertinas, mais dispostas e ativas à tarde ou à noite, tendem a ter o que chamamos de atraso de fase, começam a ir dormir cada vez mais tarde e vão jogando o relógio biológico delas pra cada vez mais tarde. Isso, a longo prazo, vai fazendo o organismo se habituar a dormir cada vez mais tarde e teoricamente é preciso acordar mais tarde também. Como socialmente é difícil, porque as pessoas têm que acordar cedo, elas acabam dormindo muito tarde, acordam cedo e acabam privadas de sono. O ideal é sempre ter um horário regular para dormir e que seja num horário socialmente aceito.

  • No caso de atletas de alto rendimento que gostam de sair à noite, é possível conciliar horários de sono?

    Se as privações de sono forem pontuais - por exemplo, num final de semana em que ele sai e vai dormir um pouco mais tarde - elas acabam não tendo uma repercussão tão importante no seu dia a dia. É óbvio que, se ele tem um treino do dia seguinte e dorme mal à noite, provavelmente seu desempenho será pior.
    Então, principalmente para quem treina profissionalmente, o ideal é manter uma regularidade no sono para ter o maior desempenho possível. As privações de sono crônicas normalmente não se consegue recuperar a curto prazo.
    O importante é manter sempre o mesmo horário de sono, socialmente adequado. Porque, se tiver que dormir até meio-dia, tem o barulho da rua, a dinâmica dentro de casa, um ambiente que não é tão favorável quanto o período da noite em que todo mundo está dormindo.

  • Usar a opção soneca do despertador faz mal?

    Um sono de qualidade é aquele que passa por todas as fases necessárias para que o corpo recupere as energias do dia. Para que isso ocorra, é necessário que todas as fases sejam vividas completamente, desde o sono mais leve, até as fases mais profundas, que são essenciais para o corpo, para a mente e para saúde. Portanto, um sono interrompido pelo despertador antes do horário devido (média de 7 a 8 horas, podendo variar de um indivíduo para o outro) pode ocasionar em curto prazo dores no corpo, cansaço e sonolência durante o dia, irritabilidade, alterações repentinas de humor, perda da memória de fatos recentes, comprometimento da criatividade, redução da capacidade de planejar e executar, lentidão do raciocínio, desatenção e dificuldade de concentração. E em longo prazo, falta de vigor físico, envelhecimento precoce, diminuição do tônus muscular, comprometimento do sistema imunológico, tendência a desenvolver obesidade, diabetes, doenças cardiovasculares e gastrointestinais e perda crônica da memória.
    Porém, se a soneca for usada de forma ponderada e fizer parte apenas de um ritual para o despertar, não vejo nenhum problema em utilizá-la. Rituais para o sono são muito comuns e podem ser utilizados por pessoas que tenham qualquer tipo de dificuldade em pegar no sono ou pular da cama cedo!

  • Dormir demais pode ser maléfico?

    Muitas vezes não nos damos conta de que a sonolência excessiva pode ser um sintoma de um distúrbio do sono. A hipersonia aparece como sintomas de outros distúrbios, como a apnéia obstrutiva e a insônia noturna, por exemplo. A falta do sono renovador no período da noite causa danos na rotina diária e a necessidade de dormir excessivamente prejudica o desempenho escolar, profissional, afetivo e social, além de déficits cognitivos, e até mesmo aumento dos riscos de acidentes. Além disso, a preguiça pode ser um grande inimigo da saúde, principalmente, quando impede a rotina da prática de exercícios físicos ou hábitos mais saudáveis. Em contrapartida, cochilar ou dormir demais em horários inadequados pode interferir na qualidade do sono noturno e pode ser, inclusive, uma das causas da insônia.

  • O que é e quais são as maiores causas da insônia?

    A insônia é um distúrbio do sono que consiste na dificuldade para adormecer ou para manter o sono por várias horas seguidas, apesar da condição adequada para que o sono ocorra e com repercussão nas atividades diárias.
    As pessoas que sofrem de insônia podem ter dificuldades para iniciar o sono, levantar várias vezes durante a noite, ou até acordar cedo demais.
    Ela pode ser considerada aguda quando dura de uma noite até algumas semanas;  intermitente, quando seus sintomas aparecem e desaparecem; e crônica, quando os episódios de insônia se repetem por um longo período. Nesse último caso, suas causas devem ser investigadas com auxilio médico.
    O estresse, a ansiedade, a correria da vida moderna, os desconfortos causados por dores de qualquer natureza, inclusive às desencadeadas pela má postura ao dormir e até mesmo a idade podem causar insônia. O distúrbio também pode estar associado aos sintomas de depressão, ao alto consumo de cafeína, ao fumo ou ao hábito de cochilar em horas inapropriadas.

  • A falta de sono pode ser apontada com um dos causadores do mau humor?

    A privação do sono acaba por inibir a produção da serotonina e impedir a acumulação do cortizol no organismo, substância química responsável pela sensação de prazer, calma e relaxamento. Além disso, a falta de sono, somada a situações de estresse do dia a dia, fazem com que o corpo libere neurotransmissores e outras substâncias que geram o mau humor e a falta de ânimo. A liberação da noradrenalina, por exemplo, aumenta a frequência cardíaca e a respiração. O organismo fica alerta quando deveria descansar. Esse desgaste afeta ainda mais o humor e causa muita irritação, interferindo no rendimento das atividades diárias. Medidas simples como a manutenção da postura correta durante o sono, aliada ao uso de um travesseiro em altura e suporte apropriado, podem contribuir para um sono de qualidade.

  • Fazer dieta pode causar insônia?

    Sim, dietas rigorosas e sem acompanhamento médico podem causar insônia. Isso porque uma diminuição muito grande no consumo de calorias pode alterar a temperatura do corpo, que deve estar em torno de 36º para pegar no sono. Baixar calorias significa diminuir também a temperatura corporal, quando o ideal é iniciar o sono numa temperatura corporal mais alta e a medida que o tempo passa, essa temperatura ir baixando. Além disso, o uso de anfetaminas encontradas nos inibidores de apetite prejudicam o sono deixando a pessoa ativa por muitas horas. Aconselha-se evitar o uso dessas substancias a partir das 18h para que seus efeitos não sejam prolongados durante a noite.

  • Existem alimentos que podem causar insônia?

    Fazer refeições antes de deitar, principalmente ingerir alimentos que promovem o aumento dos níveis de insulina (acionando assim o metabolismo), pode influenciar na má qualidade do sono ou causar insônia. Quanto maior a refeição noturna, maior dificuldade de digestão e mais complicado é pegar no sono.
    Antes de dormir é indicado evitar alimentos refinados como arroz branco, farinhas brancas e pão branco. Alimentos fonte de triptofano como carboidratos, encontrados na banana, podem ajudar a proporcionar noites bem dormidas, pois o triptofano participa da formação da melatonina, hormônio responsável pelo sono.
    Outros alimentos que ajudam a relaxar como: alface, maçã, pepino, salsão e ervas como a camomila e a cidreira são os mais indicados para esse período.

  • A prática de alguns exercícios físicos pode contribuir para amenizar a insônia?

    Realizar atividade física é bom não só para manter o corpo em dia, mas para o bem-estar geral e à qualidade do sono, desde que sejam pelo menos 30 minutos diários. A conclusão é da American College of Sports Medicine.
    Quando o individuo se exercita, seu corpo libera endorfina, um neurotransmissor que atua como analgésico que traz sensação de bem-estar e relaxamento para uma boa noite de sono. Pesquisas confirmaram que os sedentários levam mais tempo para dormir: são em média dez minutos, contra sete dos que se exercitam regularmente.
    O período de sono regular, em média 8 horas por noite, melhora as funções cognitivas e faz com que a síntese de proteínas recupere as fibras musculares, tornando o indivíduo ainda mais preparado para o esporte, formando um ciclo de uma vida mais saudável.
    A prática de atividade física também favorece o sistema respiratório, que é mais exigido pela corrida do que pela musculação. Eles diminuem as chances de um ronco ou de uma apneia – quando acontecem as paradas respiratórias - e seus consequentes prejuízos para a recuperação completa do corpo durante a noite.
    Embora ajudem, os exercícios devem ser encarados como coadjuvantes. Em casos crônicos de insônia, por exemplo, pode ser necessário aliar à prática, reeducação postural e travesseiro adequado, de forma que o mesmo preencha o espaço entre a cabeça e o colchão.
    Especialistas sinalizam que a posição lateral é a mais indicada para dormir, favorecendo a anatomia fisiológica da coluna e a disposição necessária para um dia seguinte sem dores.

  • Uma boa noite de sono é importante para quem quer emagrecer?

    O sono de qualidade favorece o bom funcionamento da atividade metabólica, diminuindo os níveis do colesterol sérico (relacionado ao estresse) e aumentando a capacidade do corpo de produzir glicose, alterando o controle do apetite e aumentando o gasto energético. Além disso, a leptina, hormônio capaz de controlar a sensação de saciedade, também é secretada durante o sono. Pessoas que permanecem acordadas por períodos superiores ao recomendado produzem menores quantidades de leptina. Resultado: o corpo sente necessidade de ingerir maiores quantidades de carboidratos e está mais propenso a engordar. Estudos provam que indivíduos que dormem pouco reduzem o tempo de sono profundo e, em consequência, a fabricação do hormônio do crescimento. Entre outras funções, ele ajuda a manter o tônus muscular, evita o acúmulo de gordura, melhora o desempenho físico e combate a osteoporose. Por conta disso, o sono de qualidade também está diretamente ligado aos fatores preventivos da obesidade.

  • Quais são as causas da Apneia do sono?

    A Apneia foi recentemente reconhecida pela medicina como um distúrbio do sono e significa “parada da respiração”. Nesse distúrbio, o indivíduo sofre com obstrução total ou parcial e transitória na passagem do ar pela garganta, o que acaba gerando breves e repetidas interrupções na respiração enquanto ele dorme.
    Esse distúrbio pode ter origem fisiológica (queixo pequeno e céu da boca profundo e estreito são fatores que comprometem a passagem de ar pela garganta), ser causada por maus hábitos como o consumo excessivo de álcool e fumo (que causa um relaxamento e flacidez desta região), devido ao aumento de preso (que acaba por criar um excesso de tecido mole na garganta, o que torna mais difícil mantê-la aberta) ou até mesmo pela postura incorreta ao dormir (que podem causar um desalinhamento da coluna, obstruindo as vias aeras).
    Na posição de barriga pra cima, o risco de Apneia também torna-se maior, devido ao relaxamento da musculatura e à ação da gravidade que empurra a língua em direção a garganta e compromete a passagem do ar).

  • Que problemas de saúde a fragmentação do sono decorrente da Apneia pode gerar?

    Poucos conhecem os riscos dessa doença, que pode desencadear arritmias cardíacas, infarto do miocárdio e acidentes vasculares cerebrais (AVC) durante o sono.
    Os riscos acontecem porque a Apneia leva a uma diminuição rápida na oxigenação sanguínea. Quando o organismo percebe essa parada respiratória, envia um sinal de despertar para o cérebro e o indivíduo acorda a tempo de desobstruir a garganta, caso contrário teria uma morte por asfixia.
    Esse despertar não é percebido e pode se repetir em até 1000 vezes a cada noite de sono nos casos mais graves. O sono fica fragmentado e encontra dificuldades para entrar no estágio profundo, quando ocorre de fato o desligamento do cérebro e o sono renovador. Com isso, o indivíduo não descansa, podendo ter fadiga durante o dia, sonolência, dificuldade de memória, entre outros problemas que podem surgir ao longo da vida, como as doenças cardiovasculares, diabetes tipo 2, hipertensão, obesidade e colesterol alto.

  • Quais seriam as dicas para melhorar se evitar a Apneia do Sono?

    O tratamento correto para a Apneia depende da causa e da gravidade da doença. Em alguns casos, algumas mudanças comportamentais relativamente simples podem reduzir consideravelmente ou até mesmo eliminar a ocorrência deste distúrbio, tais como a perda de peso, a reeducação alimentar, a prática de exercícios físicos, a eliminação do fumo e do consumo de álcool e tranquilizantes, a correção da postura durante o sono aliado ao uso do travesseiro em altura e suporte apropriados, dentre outras medidas.
    Na hora de dormir, o ideal é alinhar a coluna cervical com o tronco, o que melhora a circulação sanguínea e facilita os estímulos elétricos enviados pelo cérebro aos órgãos do corpo.
    A posição de descanso escolhida deve ser a mais adequada possível para evitar que, em longo prazo, não afete a saúde da coluna e, consequentemente, a qualidade de vida.
    A postura lateral é a mais indicada pelos médicos e fisioterapeutas. Nesta posição deve-se usar um travesseiro para apoio da cabeça, em uma altura que se encaixe perfeitamente entre ela e o colchão, formando assim, um ângulo de 90 graus no pescoço. Os joelhos deverão estar preferencialmente semiflexionados, também com um travesseiro entre eles.
    Essas medidas manterão a coluna alinhada durante toda noite, não prejudicando a passagem de ar pela traquéia. Porém, nos casos mais graves da doença, a orientação é para que se busque sempre um auxílio médico, a fim de que seja feita a prescrição mais adequada para tratamento desta doença (uso do aparelho CIPAP, cirurgias, dentre outros).

Copyright Duoflex 2013 - Todos os direitos reservados
Criação de sites Vinhedo, Valinhos, Campinas e região