X
Se você é lojista
Entre em contato com os nossos canais de venda
0800 14 5737
Se você é consumidor final
Entre em contato com nosso SAC para indicações
0800 707 3703
*Compras efetuadas em sites de terceiros
não são de nossa responsabilidade
QUAL A QUANTIDADE IDEAL DE SONO PARA CADA IDADE?

O mundo moderno, com todas as suas atribulações, é responsável por um fenômeno interessante: os dias parecem mais curtos e temos a impressão de que as horas passam muito mais rápido do que no passado. Com isso, como conciliar tantos compromissos? Como lidar com agendas lotadas e a necessidade de estarmos 24 horas por dia conectados?

Muitas pessoas dizem ter a receita para lidar com tantos dilemas: dormir menos. "O sono acumulado" é realidade na vida de muitos. Mas será que adotar tal hábito pode afetar o bom funcionamento do nosso organismo? A resposta é simples e direta: sim. Pessoas que dormem menos do que o necessário para a recuperação das energias exigidas pelo organismo podem vir a sofrer com o estresse contínuo, aumento de peso, alterações hormonais, dentre outras doenças.

Mas há uma quantidade ideal de sono? As "8 horas" pregadas por muitos especialistas são factíveis e realmente adequadas para todos? De acordo com a Consultora do Sono da Duoflex, Renata Federighi, cada faixa etária tem uma necessidade específica de horas de descanso. “A melatonina, hormônio responsável pela regularização do sono, tem o seu pico máximo de produção no ser humano aos 3 anos de idade e, com o envelhecimento, a sua formação vai diminuindo. Uma pessoa de 60 anos possui a metade de melatonina de um indivíduo com 20”, explica. Já aos 70 anos, os níveis são bem mais baixos, chegando, inclusive, a serem nulos em alguns casos.

Segundo um estudo recente, divulgado pela Universidade de Loyola, em Chicago, há novas diretrizes nesse universo, que mudaram as perspectivas de sono para cada idade. As orientações mudaram principalmente para crianças abaixo de um ano. Agora, a indicação é de que recém-nascidos precisam dormir de 14 a 17 horas. Antes a recomendação ficava entre 12 e 18 horas. “Um recém-nascido precisa dormir mais, pois nessas horas também são consolidadas as funções orgânicas fundamentais para o seu pleno desenvolvimento”, explica a especialista. Do quarto ao décimo primeiro mês de vida, os bebês já têm uma melhor organização dos ciclos de atividade e repouso, e a quantidade de horas varia entre 12 a 15. A indicação anterior era de no mínimo 14 horas.

Depois do primeiro ano de idade, a necessidade de sono diminui. Crianças com idades entre um e cinco anos precisam dormir entre 10 e 14 horas. Dos seis aos treze anos, a quantidade cai para 9 a 11 horas e adolescentes de 14 a 17 anos precisam descansar entre 8 e 9 horas diárias. As diretrizes continuam as mesmas para os adultos entre 18 e 64 anos de idade, cuja a recomendação é de 7 a 9 horas de sono. Já acima dessa idade, a quantidade cai para 7 a 8 horas diárias. A pesquisa foi divulgada no periódico Sleep Health: Journal of the National Sleep Foundation e foram revisados 320 trabalhos para chegar às novas recomendações.

Quantidade x Qualidade

Apesar da pesquisa, a consultora ressalta que o principal não é somente a quantidade de horas dormidas ou o tempo em que se permanece na cama, mas sim, a qualidade. “Muitas pessoas acreditam que, porque dormem menos, estão dormindo mal, mas nem sempre uma coisa está relacionada à outra. Algumas pessoas chegam a ter as 8 horas diárias de sono que necessitam, mas ainda assim se sentem cansadas quando acordam, mau humoradas ou com dores no corpo”, esclarece

Para uma boa noite de descanso, é indispensável que alguns hábitos sejam preservados, para que todas as fases do sono sejam cumpridas, dentre eles, a posição lateral de descanso, a utilização de um travesseiro adequado a postura e ao biótipo da pessoa, ambiente escuro e silencioso, dentre outros. “Durma, de preferência, de lado, com um travesseiro que preencha completamente o espaço existente entre a cabeça e o colchão, formando um ângulo de 90 graus no pescoço, mantendo coluna cervical e lombar sempre alinhadas. E mantenha as pernas semiflexionadas, com um travesseiro baixinho entre elas, a fim de evitar a rotação da coluna e os atritos entre os joelhos e os tornozelos”, indica Renata.

Sobre a Duoflex

Empresa 100% nacional, a Duoflex está presente há 25 anos no mercado, totalmente focada na produção de travesseiros de alta tecnologia, voltados para a saúde do sono. Lançou com exclusividade no Brasil a espuma especial viscoelástica NASA, além de ter sido a primeira empresa da América do Sul a fabricar travesseiros Natural Látex e a única a produzir os travesseiros de Altura Regulável. Recentemente colocou no mercado os travesseiros Gelflex e Nasalátex, reforçado sua imagem como empresa inovadora. Site: www.duoflex.com.br

Compartilhe
© Duoflex 2018 - Todos os direitos reservados