X
Se você é lojista
Entre em contato com os nossos canais de venda
0800 14 5737
Se você é consumidor final
Entre em contato com nosso SAC para indicações
0800 707 3703
*Compras efetuadas em sites de terceiros
não são de nossa responsabilidade
Sono e longevidade

Quais as maiores alterações que ocorrem no descanso de pessoas na terceira idade?


Na terceira fase da vida o sono se torna mais leve e fragmentado, o adormecer fica mais demorado, tem-se queixas de insônia, sonolência diurna e, geralmente, o sono não ultrapassa oito horas diárias – que é o período recomendado por especialistas. Além desses fatores, devemos considerar as alterações da estrutura óssea dos idosos. É indispensável que essas pessoas mantenham o cuidado diário com a postura e adotem medidas saudáveis para dormir, a fim de evitar dores e maiores problemas nas regiões da coluna cervical e lombar.

Quais os prejuízos que tais alterações trazem para a saúde dessas pessoas?


Com a qualidade do sono deteriorada, fato que acontece com freqüência com o decorrer da idade, as funções do cérebro podem ser prejudicadas, principalmente aquelas que garantem, principalmente, o armazenamento das memórias em geral. Além disso, problemas musculares e nas articulações podem surgir em consequência de esforços posturais ou posições incorretas na hora de dormir.

Essas alterações, além de influenciar no sono, também acarretam prejuízos na vida desses idosos, de forma geral? Que prejuízos seriam esses?


Em curto prazo, um sono de má qualidade pode causar dores no corpo, cansaço e sonolência durante o dia, irritabilidade, alterações repentinas de humor, perda da memória de fatos recentes, comprometimento da criatividade, lentidão do raciocínio, desatenção e dificuldade de concentração. E, em longo prazo, surgem alguns sintomas como a falta de vigor físico, envelhecimento precoce, diminuição do tônus muscular, comprometimento do sistema imunológico, tendência a desenvolver obesidade, diabetes, doenças cardiovasculares e gastrointestinais e perda crônica da memória.

O que é possível fazer para melhorar o sono dos idosos?


É importante manter o cuidado diário com a postura e adotar medidas saudáveis para dormir. Abaixo seguem algumas orientações:

1- Evitar assistir televisão ou ler um livro deitado sobre a cama, que deve ser usada apenas para dormir. Além disso, recomenda-se manter a disciplina e tentar dormir sempre na mesma hora;

2- Programe atividades pela manhã e pratique exercícios físicos regulares, sempre sob orientação médica, para que se sinta mais cansado à noite. As atividades diárias regularizam o sono noturno.

3- O travesseiro e o colchão contribuem para um sono renovador. Portanto, na hora de dormir, o idoso deve, preferencialmente, dormir de lado e utilizar um travesseiro que complete exatamente o espaço compreendido entre a cabeça e o colchão (formando um ângulo de 90 graus no pescoço), alinhando assim toda a coluna com o tronco. Isso facilita a circulação sanguínea e permite que os estímulos elétricos sejam perfeitamente enviados pelo cérebro aos órgãos do corpo;

4- Evitar tomar chás e cafés, pois funcionam como estimulante e faça refeições balanceadas. No período da noite, evite alimentos pesados e gordurosos, que podem dificultar a digestão e comprometer o sono;
 
5- Para que haja um descanso completo do corpo e da mente é necessário silêncio e concentração. Além disso, mantenha sempre as luzes apagadas, pois na claridade a produção de melatonina e cortisol é interrompida, o que acaba por interferir na qualidade do sono, causando sensação de cansaço pela manhã;

6- Ao levantar da cama, o idoso deve virar as pernas para o lado em que pretende levantar, apoiar os braços na cama e erguer o tronco. Em casos de repouso na cama por longos períodos é recomendado que mude sempre de posição e seja orientado e incentivado para tal, evitando assim um atrofiamento e o surgimento de úlceras de decúbito;

     
A procura por um médico do sono é necessária em algum momento? Quando?


Normalmente, quando as pessoas chegam à terceira idade, as visitas a um especialista em geriatria, por exemplo, se tornam mais frequentes. Este profissional poderá avaliar a saúde do paciente de forma geral, inclusive questões que podem ou não estar associadas ao sono. Vale ressaltar que o conhecimento prévio de problemas com a saúde e um diagnóstico precoce auxilia no alcance de uma melhor qualidade de vida, aumentando a sua confiança e a autoestima.

Compartilhe
© Duoflex 2018 - Todos os direitos reservados. Política de privacidade