X
Se você é lojista
Entre em contato com os nossos canais de venda
0800 14 5737
Se você é consumidor final
Entre em contato com nosso SAC para indicações
0800 707 3703
*Compras efetuadas em sites de terceiros
não são de nossa responsabilidade

07 de abril é o Dia Mundial da Saúde, uma data perfeita para colocar em prática hábitos que propiciem o bem-estar
   
O dia-a-dia do mundo moderno exige dos indivíduos o cumprimento de uma infinidade de compromissos e responsabilidades com o trabalho, filhos, vida pessoal e social. Com tantas obrigações, fica cada vez mais difícil deitar a cabeça no travesseiro e tirar um merecido sono, daquele que faz o corpo relaxar totalmente, deixando a pessoa disposta para os desafios do dia seguinte.

Segundo a consultora do Sono da Duoflex, Renata Federighi, dormir bem é essencial não apenas para ficar acordado, mas para manter a saúde em dia, melhorar a qualidade de vida e até aumentar a longevidade. “Um sono de qualidade deve passar por todas as fases necessárias para que o corpo recupere as energias do dia. Para que isso ocorra, é importante que todas as etapas sejam vividas completamente, desde o sono mais leve até o mais profundo”, esclarece.

O sono humano divide-se em dois tipos fisiologicamente distintos: sono REM (Rapid Eye Movement ou "Movimento Rápido dos olhos"), quando acontecem os sonhos e se acorda com mais facilidade, e sono NREM (Non Rapid Eye Movement ou "Movimento Não Rápido dos Olhos"), classificado em quatro estágios distintos e responsável por cerca de 75% do tempo do sono.

Quanto ao sono NREM, o primeiro estágio é uma fase transitória entre vigília e sono, onde podemos ser facilmente acordados. O segundo estágio é o tempo mais longo de sono e pode ainda ser superficial. Nele, cessam os movimentos oculares, as ondas cerebrais ficam mais lentas e há diminuição na temperatura do corpo e frequência cardíaca. O terceiro e quarto estágios compreende o sono mais profundo, quando há relaxamento muscular intensificado. “Nessa etapa o cérebro está ‘desligado’ e o corpo tem queda do seu metabolismo, com fluxo sanguíneo em velocidade reduzida com o objetivo de recuperar as energias gastas durante o dia. É muito difícil acordar alguém nesta última fase de sono. Depois, a pessoa retorna ao terceiro estágio, por cinco minutos, e ao segundo estágio, por mais quinze minutos. Entra, então, no sono REM”, explica Renata.

A interrupção ou incompletude de qualquer uma das fases acarretam um sono de má qualidade, que em longo prazo pode prejudicar o equilíbrio do organismo e a saúde, com sintomas como a falta de vigor físico, o envelhecimento precoce, a diminuição do tônus muscular, o comprometimento do sistema imunológico, a tendência a desenvolver obesidade, diabetes, doenças cardiovasculares e gastrointestinais e a perda crônica da memória. Em curto prazo, os riscos abrangem cansaço e sonolência durante o dia, irritabilidade, alterações repentinas de humor, perda da memória de fatos recentes, comprometimento da criatividade, redução da capacidade de planejar e executar, lentidão do raciocínio, desatenção e dificuldade de concentração.

Portanto, fique atento às recomendações da Consultora do Sono e garanta o tão sonhado descanso:

• Atenção à postura
A postura correta ao dormir é imprescindível para um repouso de qualidade. A posição de lado é a mais indicada pelos especialistas. Utilize um travesseiro para apoio da cabeça, em altura que se encaixe perfeitamente entre ela e o colchão, formando um ângulo de 90 graus no pescoço. Os joelhos devem estar semiflexionados com um travesseiro ou um Rolinho, por exemplo, entre eles;

• Silêncio e ambiente escuro
Mantenha o ambiente escuro. A claridade interfere na produção da melatonina, o hormônio que avisa o cérebro que já é hora de dormir. Além disso, evite atividades que atrapalhem um sono profundo, como assistir TV deitado na cama, utilizar o computador ou ficar horas jogando em celulares. É importante lembrar que o quarto é um local de descanso;

• Alimentos leves e ricos em triptofano
Fazer refeições antes de deitar e, principalmente, ingerir alimentos que promovem o aumento dos níveis de insulina, pode influenciar na má qualidade do sono. Quanto maior a refeição noturna, maior a dificuldade de digestão. Portanto, alimente-se até 3 horas antes de ir pra cama e dê preferência a alimentos que ajudam a relaxar, entre eles, alface, maçã, pepino, salsão e ervas, como a camomila e a cidreira. Alimentos ricos em triptofano, como banana, leite, queijo branco, abacate e soja, também ajudam a proporcionar noites bem dormidas, pois participam da formação da melatonina;

• Horas de descanso
Um sono reparador mantém a saúde em dia, melhora a disposição e o desempenho das atividades intrínsecas a qualquer indivíduo. Descanse, pelo menos, de sete a oito horas. Isso contribui para o desenvolvimento normal do cérebro e para os processos de memória e aprendizagem;

• Atividades relaxantes
Procure relaxar. Até três ou quatro horas antes de deitar faça alguns movimentos tranquilos de alongamento. Ao liberar a adrenalina, o exercício físico aquece e relaxa a musculatura, evitando lesões, dores musculares e problemas ortopédicos.

Compartilhe
© Duoflex 2018 - Todos os direitos reservados