X
Se você é lojista
Entre em contato com os nossos canais de venda
0800 14 5737
Se você é consumidor final
Entre em contato com nosso SAC para indicações
0800 707 3703
*Compras efetuadas em sites de terceiros
não são de nossa responsabilidade
Entenda o que é paralisia do sono e como tratar

Já teve a sensação estranha de estar acordado, mas não conseguir se mexer, falar e abrir os olhos? Ou até mesmo ter alucinações? Existem muitos relatos de pessoas que passam por essas situações, ocasionalmente, ou até com mais frequência. Essa sensação desagradável pode ser “paralisia do sono”. Se você já passou por isso ou algo parecido, leia nosso conteúdo até o final para entender melhor a respeito.

Acreditou-se durante muito tempo que a paralisia do sono estava relacionada a acontecimentos sobrenaturais ou que não pudessem ser explicados pela ciência. Entretanto, depois de muitos estudos, descobriu-se que essa situação acontece como uma parte natural do sono REM.

 

O que é paralisia do sono?

A paralisia do sono é um distúrbio muito comum caracterizado pela paralisia temporária do corpo, logo após acordar. Nesse momento os músculos ficam paralisados e, mesmo que a pessoa queira se mexer, o corpo não corresponde.

Esse distúrbio acontece durante a fase mais profunda do sono, chamado REM (Rapided Eye Moviment), que em português significa movimento rápido dos olhos. Na maioria das vezes, ocorre quando o sono não está em dia ou o cansaço é muito grande. Nessas situações, a transição do sono REM (sono mais pesado) para o estado de vigília (sono mais leve) não é automática e, por isso, a paralisia fica evidente.

A paralisia do sono, assim como o terror noturno são os distúrbios do sono mais comuns na vida das pessoas e os mais assustadores. Imagina você estar acordado, entendendo o que está acontecendo a sua volta e não conseguir se mexer, abrir os olhos e enxergar apenas vultos.

Se você passa por isso, acalme-se. Melhorar os hábitos noturnos pode garantir que esse distúrbio não atrapalhe mais suas noites de sono. Veja a seguir!

 

Criar uma rotina

É muito importante dormir e acordar sempre nos mesmos horários ou, pelo menos, em horários parecidos. Assim seu corpo vai entender naturalmente qual é o período de sono e, consequentemente, descansar da maneira correta.

Crie uma rotina, estabeleça algumas tarefas para serem feitas antes de dormir, como preparar o quarto, diminuir a luz, escovar os dentes e se deitar. Fazendo sempre a mesma rotina, será mais fácil do corpo conseguir relaxar.
 

Respeitar as horas de sono

Apesar de não ser uma regra, a National Sleep Foundation (Fundação Nacional do Sono) criou uma tabela com as horas necessárias para se ter um bom sono, de acordo com cada faixa etária. Mas não se esqueça: mais importante do que a quantidade de horas dormidas, é a qualidade do sono. O ideal é acordar com a sensação de que realmente descansou.

Então, procure seguir todas as dicas anteriores e se deitar para dormir em um bom horário, respeitando a quantidade de horas que você deve descansar, de acordo com a tabela abaixo:

Recém-nascido (0 – 3 meses): 14 a 17 horas por dia
Bebê (4 – 11 meses): 12 a 15 horas por dia
Primeira infância (1 – 2 anos): 11 a 14 horas por dia
Idade pré-escolar (3 – 5 anos): 10 a 13 horas por dia
Idade escolar (6 – 13 anos): 9 a 11 horas por dia
Adolescentes (14 – 17 anos): 8 a 10 horas por dia
Jovem adulto (18 – 25 anos): 7 a 9 horas por dia
Adulto (26 – 64 anos): 7 a 9 horas por dia
Idoso (a partir de 65 anos): 7 a 8 horas por dia

 

Evitar distrações

A hora de dormir deve ser o momento de descanso, de se desligar do mundo e colocar as energias em ordem. Por isso, evite distrações, principalmente as que envolvem aparelhos eletrônicos. Dar aquela espiadinha nas redes sociais, checar o e-mail ou assistir televisão são hábitos ruins que podem atrapalhar as noites de sono. A luminosidade emitida por esses aparelhos eletrônicos interfere na produção da melatonina, hormônio responsável por alertar nosso corpo que está na hora de dormir.

Esses costumes podem fazer com que seu cérebro não descanse da maneira correta e, consequentemente, fique mais suscetível à paralisia do sono. Por isso, procure relaxar de verdade na hora de dormir, evite distrações.

 

Não ingerir alimentos energéticos

Todo mundo já sabe que alimentos energéticos como café e chocolate ajudam a inibir o sono. Por isso, evite ingeri-los próximo a hora de dormir. Tenha hábitos saudáveis e procure se alimentar pelo menos duas horas antes de ir para a cama.

Ingerir alimentos pesados também pode ser um problema, uma vez que o organismo demora muito tempo para digerir, o que pode afetar o descanso de qualidade.

 

Utilizar os travesseiros ideais

Dormir em um ambiente confortável é de extrema importância para que o corpo e a mente consigam relaxar da maneira correta. Além disso, usar o travesseiro ideal também faz toda diferença. Por isso, escolha com sabedoria, para que suas noites de sono não sejam afetadas pela insônia, dores no corpo ou até mesmo por distúrbios como a paralisia do sono.

O travesseiro é um grande aliado ao conforto do sono, por isso deve-se escolher aquele que melhor se adapta a você, levando em consideração a posição em que dorme e seu tipo físico, além, claro, do seu gosto pessoal.

Ao dormir, dê preferência à postura lateral, a mais recomendada pelos ortopedistas. E também experimente dormir com dois travesseiros, sendo um para cabeça e outro entre os joelhos. Esse hábito alivia a tensão e o estresse, ajuda a induzir o sono e na correção postural.

 

Experimente aplicar nossas dicas! Elas ajudarão seu corpo e sua mente a relaxarem mais e, possivelmente, deixar a paralisia do sono longe das suas noites.

 

Aproveite e conheça os melhores travesseiros do mercado e garanta suas noites de sono!

Compartilhe
© Duoflex 2018 - Todos os direitos reservados